Arquivo do autor:Cinematófaga

Jump Cut: Mostra Alfred Hitchcock no CCBB-SP

Mostra Alfred Hitchcock: de 15/06 a 24/07 no CCBB-SP

Mostra Alfred Hitchcock: de 15/06 a 24/07 no CCBB-SP

Começa hoje a Mostra Alfred Hitchcock no Centro Cultural Banco do Brasil, em São Paulo. A retrospectiva traz 54 longas, dois curtas e dois filmes complementares, além dos 127 episódios em séries de suspense que ele fez para a televisão. Os ingressos custam R$ 4,00 e você pode conferir a programação completa no site do CCBB-SP ou clicando aqui.

Mostra Alfred Hitchcok

De 15/06 a 24/07

CCBB-SP: Rua Álvares Penteado, 151

Telefones: (11) 3113.3651/52

 

 

Trilha Sonora: Filmes com músicas de Kaki King

Kaki King: grandes trilhas sonoras

Kaki King: grandes trilhas sonoras

Na noite de ontem, tive o prazer de assistir o show da guitarrista norte-americana Kaki King com O Musicólogo. Em 2007, ela foi a primeira mulher a conquistar o prêmio de “Guitar God” pela revista Rolling Stone – o que ela não curtiu muito. Confira abaixo a participação de Kaki King na trilha sonora de dois filmes.

Na Natureza Selvagem (2007), direção de Sean Penn

August Rush (2007), direção de Kirsten Sheridan

Jump Cut: Cinema em gifs de neon

Pulp Fiction - Mr. Whaite

Pulp Fiction, por Mr. Whaite

 

Vejam só que bacana o trabalho do designer inglês Mr. Whaite: ele faz gifs em neon baseados em sucessos do cinema, além de outras ilustrações bem interessantes. A dica foi do Dylanesco, que conheceu o artista pelo Fake Doll.

 

De Volta Para o Futuro - Mr. Whaite

De Volta Para o Futuro, por Mr. Whaite

 

Psicose - Mr. Whaite

Psicose, por Mr. Whaite

 

Os Caça-Fantasmas - Mr. Whaite

Os Caça-Fantasmas, por Mr. Whaite

 

Guerra nas Estrelas - O Retorno de Jedi, por Mr. Whaite

Guerra nas Estrelas - O Retorno de Jedi, por Mr. Whaite

Listas: Filmes baseados na obra de Jane Austen

Jane Austen: romances onde as mocinhas sonham com o casamento

Jane Austen: romances onde as mocinhas sonham com o casamento

Persuasão (1995), direção de Roger Michell

Razão e Sensibilidade (1995), direção de Ang Lee

Emma (1996), direção de Douglas McGrath

Palácio das Ilusões (1999), direção de Patricia Rozema

Orgulho e Preconceito (2005), direção de Joe Wright

Livros: Film Journal | Moleskine

A Moleskine, fabricante dos cadernos mais charmosos do mundo, fez uma edição especial para os amantes do cinema: o Film Journal. Nele você pode notar todos os dados do filmes que assiste como título, país de origem, ano, elenco e, o principal: a sua opinião sobre eles. É um presente maravilhoso para quem gosta muito da telona e eu tive a sorte de ganhar um desses no meu último aniversário. Conifra o vídeo sobre o Moleskine Film Journal.

Trilha Sonora: Nino Rota | O Poderoso Chefão

Nino Rota: um dos injustiçados pelo Oscar

Nino Rota: um dos injustiçados pelo Oscar

Copiar a si mesmo é plágio?

Para a comissão julgadora do Oscar de 1973, é.

Nino Rota é o autor da trilha sonora de todos os filmes de Fellini. É um dos maiores compositores para cinema, também com uma grande contribuição à música clássica. Mas a que o tornou mundialmente conhecido e inesquecível no imaginário do espectador são os acordes de “O Poderoso Chefão” (1972), de Francis Ford Coppola. Por este trabalho, Nino foi indicado ao Oscar de melhor trilha sonora, mas perdeu por ter reaproveitado a música já utilizada no trabalho “Fortunella” (1958).

Agora, você pode perguntar: “Tá bom. Mas a categoria chama-se Trilha Sonora Original. Pressupõe ineditismo!”. Sim, é verdade. Mas então, porque não o barraram como candidato à competição? Desnecessário.

Em 1975, ele concorreu novamente com a melhor trilha sonora por “O Poderoso Chefão II” (1974) e ganhou o prêmio. Mas não compareceu à cerimônia. Rá!

Confira as duas versões de uma das músicas mais famosas da história do cinema.

Fortunella (1958)

O Poderoso Chefão (1972)

Remake: Trilogia Millenium | Os Homens Que Não Amavam as Mulheres

Lisbeth Salander: eu prefiro a sueca

Lisbeth Salander: eu prefiro a sueca

O primeiro filme da Trilogia Millenium, o grande sucesso literário de Stieg Larsson, foi lançado em 2009 e já ganhou sua primeira refilmagem. A produção original é assinada pela Yellow Bird, companhia sueca, e feita com equipe do próprio país. Já a nova versão é mais sombria – se isso é possível – e tem a direção de David Fincher, mestre de hits cinematográficos como Seven – Os Sete Crimes Capitais (1995), Clube da Luta (1999), O Curioso Caso de Benjamin Button (2008) e A Rede Social (2010).

Daí você pode pensar: “Vai ter o Brad Pitt?”. Não. O ator escalado para viver o heroi Mikael Blomkvist será… Daniel Craig, o último James Bond. Não sei como isso pode ficar mais chato. Ah, sei sim: a Lisbeth Salander – personagem fundamental na obra – será interpretada por Rooney Mara. Quem? Rooney Mara, a garota que deu vida à namoradinha de Mark Zuckerberg no já citado A Rede Social. Esse turbilhão de emoções pasteurizado tem estreia prevista nos Estados Unidos para 23 de dezembro, o que indica que as distribuidoras estão apostando todas as fichas no filme.

O engraçado é que o trailer sueco tem cara de norte-americano e o trailer norte-americano tem cara de sueco. Veja abaixo as duas versões de Os Homens Que Não Amavam as Mulheres:

Os Homens Que Não Amavam As Mulheres (2009), direção de Niels Arden Oplev

Os Homens Que Não Amavam As Mulheres (2011), direção de David Fincher

Listas: Recordes de bilheterias dos anos 80 nos EUA

A década de 1980 em Hollywood é marcada por investimentos de peso no cinema norte-americano: os filmes são lançados com uma grande campanha de marketing e, de preferência, em feriados prolongados. O público-alvo são os adolescentes, sendo que a molecada de 12 a 20 anos foi responsável por 48% das bilheterias do período. E os heróis são bastante variados e para todos os gostos – de Luke Skywalker a… Roger Rabbit! Confira os dez filmes com as maiores bilheterias dos anos 80 nos EUA.

#10 Top Gun – Ases Indomáveis (1986) – direção de Tony Scott

#9 Uma Cilada para Roger Rabbit (1988) – direção de Robert Zemeckis

#8 De Volta Para o Futuro (1985) – direção de Robert Zemeckis

#7 Batman (1989) – direção de Tim Burton

#6 Os Caçadores da Arca Perdida (1981) – direção de Steven Spilberg

#5 Rain Man (1988) – direção de Barry Levinson

#4 Indiana Jones e a Última Cruzada (1989) – direção de Steven Spilberg

#3 Guerra nas Estrelas: O Império Contra-Ataca (1980) – direção de Irvin Kershner

#2 Guerra nas Estrelas: O Retorno de Jedi (1983) – direção de Richard Marquand

#1 ET, O Extraterrestre (1982) – direção de Steven Spilberg

Trilha Sonora: Stuck in the Middle With You | Cães de Aluguel

Quentin Tarantino: ele também entende de música

Quentin Tarantino: ele também entende de música

Quentin Tarantino é muito meticuloso para escolher as músicas de seus filmes. Tanto é verdade que existem várias coletâneas só com as canções preferidas do diretor. Nesta cena do filme Cães de Aluguel (1992), Tarantino faz da música uma  personagem extra na cena. “Stuck in the Middle With You” é da banda inglesa Stealers Wheel e foi lançada em 1973. Confira!

Première: Novo filme de Almodóvar – La Piel Que Habito

Almodóvar: La Piel Que Habito

Almodóvar: La Piel Que Habito

Com exibição em Cannes na semana passada, “La Piel Que Habito” ou “The Skin That I Live In”, novo filme de Almodóvar, foi recebido de forma entusiasmada pelo crítico Matt Holmes, do Obsessed With Film.

O roteiro é um pouco estranho, mas vamos lá. Antonio Banderas interpreta o cirurgião plástico Robert Legard. Sua esposa se suicidou após um acidente de carro que a deixou com o rosto deformado. Então, ele começa a desenvolver um tipo de pele artificial muito resistente, impenetrável até para… picadas de mosquito. É preciso testar o novo experimento – e então entra a bela atriz Elena Anaya para ser sua cobaia.

O que Holmes não menciona – talvez por razões anti-spoiler – são as tramas psicológicas do filme. Devo dizer que fiquei um pouco apreensiva com essas características de filme B descritas pelo crítico. No entanto, não quero avaliar de forma precipitada, mesmo porque o diretor sempre me surpreendeu positivamente. Confira abaixo o trailer de “La Piel Que Habito”, sem título nem estreia prevista no Brasil.